regime de caixa

Regime de caixa: confira uma opção para analisar o seu fluxo de caixa

Possuir o controle dos registros de entradas e saídas do caixa em uma empresa são características essenciais para os gestores financeiros. Entre os métodos disponíveis no mercado, para que eles possam apurar o faturamento, está o regime de caixa.

Apesar de ainda causar dúvidas entre os gestores, o regime de caixa e de competência são os dois métodos mais conhecidos e usados na análise e registro dos lançamentos de entradas e saídas do caixa.

O regime de caixa é um sistema que favorece os empreendimentos que atuam no segmento de vendas a prazo e prestações de serviços, possibilitando certos benefícios tributários. Para entender mais, nós, da Nexoos, elaboramos esse artigo para que você descubra o que é regime de caixa e quais as suas vantagens. Veja.

Entenda o regime de caixa

O regime de caixa é um sistema contábil que registra os valores na data de vencimento ou recebimento. Isto é, as quantias não são lançadas no dia em que foi emitida a Nota Fiscal — apenas na data em que o capital entra no caixa da empresa.

Como citamos acima, esse regime favorece as empresas que oferecem serviços com parcelamento, já que possibilita que os tributos incidam em cada prestação paga pelo consumidor.

Importância desse regime financeiro

Assim como saber a importância do planejamento tributário ou da gestão financeira dentro de uma empresa, é essencial saber qual o melhor direcionamento para o capital do seu negócio, também é uma tarefa que demanda atenção.

Entre as várias opções presentes no mercado, o regime de caixa é o mais usado e mais simples do país, apesar de não ser o único. Ele permite que você consiga administrar o seu fluxo de caixa, impedindo que você pague tributos mais de uma vez ou que deixe de pagar.

Quais empresas podem optar por esse regime?

Assim como qualquer outro sistema, o regime de caixa também possui restrições quanto a quais pessoas jurídicas podem optar por esse tipo de enquadramento. Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) são os principais empreendimentos que podem aderir a esse regime.

Outro tipo de enquadramento que pode escolher pelo regime de caixa é o Lucro Presumido e o Simples Nacional. Eles possibilitam um menor efeito no setor financeiro das empresas, pois os tributos incidem apenas nas quantias presentes no caixa.

Regime de caixa X Regime de competência

Para relembrar o que falamos na introdução, ambos são regimes utilizados pelos gestores financeiros e contadores para controlar a contabilidade da empresa. Para entender a diferença entre regime de caixa e competência, nós definimos ambos os termos.

O registro do regime de competência é conhecido pelo nome “fato gerador”. Ou seja, o aspecto importante é o dia em que o serviço ou produto foi comprado, não quando o item será pago como o regime de caixa. Ele registra os valores lançados na data em que foram emitidas as notas fiscais.

Quando utilizar cada regime?

Não existe uma regra geral para escolher cada regime, mas há situações específicas em que o regime caixa e regime de competência são mais indicados. Confira abaixo:

  • O regime de caixa é uma ferramenta usada pelos gestores para descobrir a “saúde” financeira das organizações. Por meio do DFC (Demonstrativo de Fluxo de Caixa), as empresas conseguem verificar cada entrada e saída de capital, 
  • Já o regime de competência é usado para medir os resultados da organização. Nele é utilizado o DRE (Demonstrativo de Resultados de Exercício), no qual é possível verificar se houve prejuízo ou lucro no período avaliado.

Cuidados ao optar pelo regime de caixa

Um dos principais cuidados para se ter ao optar pelo regime de caixa é manter o controle rígido do fluxo de caixa do seu empreendimento, registrando diariamente todas as entradas e despesas futuras do seu negócio.

É importante se atentar a esses registros, já que o erro humano é um dos principais problemas citados por quem geralmente realiza esses registros pelas planilhas. O preenchimento errado de algum campo pode ocasionar no pagamento de algum tributo indevido.

Outro cuidado é que o regime de caixa só registra como despesa quando o capital é retirado da conta, por isso, no setor financeiro, pode ser que essa conta não esteja ainda lançada e o seu gestor financeiro dedique o dinheiro que era para pagá-la para outro investimento, gerando uma dívida.

Conte com a Nexoos para reinventar seu negócio! 

Neste artigo, você leu sobre um dos sistemas que pode adotar no setor financeiro do seu negócio: o regime de caixa. Se você quer conferir mais conteúdos assim, acesse o blog da Nexoos e leia outros textos, como o “Capital humano: entenda o que é e como desenvolver na sua empresa”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima