empréstimo

7 erros que empresas cometem na hora de fazer um empréstimo

Até as empresas mais experientes podem cometer alguns deslizes ao contratar um empréstimo. Aprenda com os erros dos outros e prepare-se para fazer um bom negócio.

Os empréstimos fazem parte da realidade de muitos empresas, pois são importantes para sustentar ou expandir negócios. Desde a sua criação até a consolidação de grandes corporações.

Apesar de estarem familiarizados com operações de crédito, alguns empreendedores cometem deslizes que podem prejudicar mais do que contribuir com as finanças da empresa.

Veja aqui quais são os principais erros e prepare-se para fazer um bom negócio.

Fechar direto com o seu banco sem considerar outras alternativas

Foi-se o tempo em que só era possível conseguir um empréstimo com um grande banco, no qual você fosse cliente de longa data. Com a portabilidade de crédito e a chegada das startups, o mercado ficou muito mais diverso.

Hoje em dia, existem muitas opções, inclusive, instituições financeiras especializadas em empréstimo para empresas. A maioria delas oferecem atendimento online.

Vale a pena consultar e comparar, pois as taxas e condições variam muito entre si. Para facilitar utilize um comparador de crédito, uma plataforma digital que faz essa pesquisa de mercado por você. Basta fazer um cadastro para ter acesso a ofertas personalizadas.

Escolher a modalidade errada

Da mesma forma que existem muitas instituições financeiras, também existem diversas modalidades de empréstimo. Cada uma com características e condições de pagamento próprias.

Isso significa que existe uma modalidade para solucionar desafios específicos de cada empresa. Algumas são até subsidiadas e contam com taxas competitivas.

Para encontrar a opção ideal é necessário avaliar o porte da companhia, o setor, a situação financeira, a possibilidade de apresentar garantias, entre outras coisas.

>> Leia mais sobre as modalidades de empréstimo para empresas

Solicitar menos que o necessário

Antes de contratar qualquer tipo de empréstimo, a primeira coisa a fazer é uma análise detalhada da situação financeira para saber quanto precisa de fato.

Não adianta fazer um empréstimo para refinanciar dívidas caras, se o caixa vai ficar totalmente comprometido para pagar as parcelas, deixando a empresa sem capital de giro.

Nesse tipo de situação, pode ser interessante contratar um valor maior para cobrir os custos da operação até que a entrada de um recebível estabilize o fluxo de caixa.

Comparar apenas taxas de juros

Na hora de fazer um empréstimo, a maioria das pessoas ficam atentas ao valor aprovado e às taxas de juros. Com certeza isso é muito importante, mas existem algumas questões que merecem atenção. Por exemplo, os encargos, taxas administrativas e as condições de pagamento.

Esses custos adicionais podem elevar e muito o valor total que será pago até quitar o financiamento.

Para garantir um bom negócio, comparte o Custo Efetivo Total (CET) da operação e o saldo final devedor. Consulte, avalie e escolha sabendo de todos pormenores.

Não definir o destino do recurso

Bons empresário possuem muitas metas e planos para os seus negócios. Alguns são adiados por falta de recursos e ficam adormecidos até o momento certo.

Acontece que quando o dinheiro do empréstimo cai na conta corrente, esses planos despertam e podem desviar o foco das prioridades mais urgentes.

Aquele montante parece ser suficiente para atender tudo, mas não é. Para não correr esse risco, deixe bem claro qual é o destino desse dinheiro.

Não se preocupar com a formalização do empréstimo

Ninguém gosta de formalidades, muito menos de ler letras miúdas de contrato. Mas não dá para escapar disso se o intuito é fazer uma operação segura e vantajosa.

Essa etapa é imprescindível para garantir que as condições expostas no início do processo  foram registradas no contrato. Afinal, vale o que está no documento legal.

Verifique valores, números de parcelas, taxas, multas e procedimentos em casos de inadimplência.

Este momento também é importante para se certificar que está fechando negócio com uma empresa séria. Desconfie se a instituição não der muita atenção para a elaboração do contrato.

Não atualizar as previsões orçamentárias

Depois de conseguir o empréstimo muitos empreendedores se acomodam com a sensação de “problema resolvido” e esquecem que em breve chegará a primeira cobrança de pagamento.

Entretanto, se as previsões orçamentárias não forem atualizadas e a parcela do empréstimo não entrar no planejamento financeiro, a empresa corre o risco de endividamento. Pode até  cair em um efeito “bola de neve” que só será freado com a contratação de um empréstimo ainda maior. Portanto, atualize o controle financeiro para manter o caixa equilibrado.

Isso também é importante para nutrir o relacionamento com a financiadora. No futuro, isso pode contribuir com a sua análise de crédito e você pode conseguir condições muito mais atrativas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima