Investimento anjo

O que é investimento anjo e como ele pode ajudar as empresas

Cunhado na década de 1920, o termo “investidor” ou investimento anjo se popularizou graças à Broadway e seus espetáculos caríssimos, bancados por ricos empresários que ajudaram na divulgação, desenvolvimento e profissionalização do teatro musical. 

Mas afinal, o que é o investimento anjo? Comum há anos no exterior, ele serve para aportar quantias em empresas iniciantes que já passaram da fase de startup. Agregando muito mais que dinheiro, o investidor também traz experiência, know-how e contatos que podem alavancar o crescimento da companhia.  

Também conhecido como smart money, esse tipo de investimento pode trazer uma rentabilidade ótima para o investidor, que nessa modalidade é normalmente uma pessoa física (em ocasiões especiais pode ser jurídica) que investe entre 5% e 10% de seu próprio patrimônio na empresa-alvo.

Qual é a importância do investimento anjo?

Grandes empresas como Google e Apple iniciaram seus negócios a partir de investidores anjos que confiaram nas ideias apresentadas por essas companhias. O papel do anjo é exatamente esse: perceber quais empresas conseguem ofertar uma solução para determinadas demandas, suprindo as necessidades.

Ao optar por um investimento anjo, você impulsiona a economia local, já que as empresas que solicitam esse tipo de aporte estão rotineiramente classificadas como micro, pequenas ou médias empresas, geralmente alocadas em bairros ou regiões não tão comerciais.

Ao alavancar o desenvolvimento de empreendimentos, mais empregos são gerados, assim como inovações disruptivas e novos modelos de negócios. Cabe ressaltar que, ao fazer um investimento anjo, a pessoa não se torna sócia ou dona da empresa. Sua atuação se limita a de investidor e, em alguns casos, conselheiro. 

Por que investir em outras empresas?

Com essa modalidade de investimento é possível alinhar suas crenças e propósitos pessoais com as empresas nas quais deseja investir. Caso o investidor tenha apreço pela causa de defesa e cuidados com os animais, ele pode escolher empresas que tenham como valores ou missão o cuidado com pets. 

Existem outras vantagens para o investimento anjo. Por não  ser considerado dono ou sócio da empresa, caso a companhia passe por problemas financeiros o investidor anjo está protegido. Até mesmo em casos graves, como recuperações judiciais, seus bens e nome não serão associados ao processo e aos pagamentos. 

Ainda pela lei, a totalidade do valor investido só poderá ser resgatada após dois anos da data do aporte. No entanto, é possível que o prazo seja maior caso isso seja acordado em um contrato assinado pelas partes. 

Retorno do investimento

O retorno do investimento para o investidor anjo difere um pouco, sendo limitado a ser pago somente nos primeiros cinco anos após o aporte. Caso os sócios da companhia decidam vendê-la, o investidor anjo recebe preferência de compra, já que a empresa pode ser ofertada para ele. 

Apesar de tantas vantagens, o tempo para receber o que rendeu no investimento anjo é maior se comparado a outros tipos de aportes em empresas. Simples e direto, o investimento anjo é bem interessante. Mas existe outra modalidade que é menos burocrática e muito mais rentável. 

Conheça o Peer-to-Peer, uma espécie de empréstimo coletivo que está revolucionando o mercado financeiro. Parecido com o investimento anjo, ele é um modelo semelhante, com melhor rentabilidade e menos burocracias, garantindo um retorno superior e bem menos preocupações. 

Saiba mais sobre o Peer-to-Peer

O Peer-to-Peer Lending, também conhecido como P2P, é um empréstimo empresarial coletivo no qual investidores e empreendedores são conectados digitalmente através de plataformas online, como a Nexoos. Nesta modalidade de investimento, assim como no anjo, não há participação no capital da empresa. 

Através do P2P, o investidor apenas recebe, de forma rentável, a quantia que foi emprestada para a companhia, não tendo participação como sócio ou acionista. Para a empresa, o único compromisso com o investidor é o pagamento do que lhe foi cedido, não havendo a cessão de direitos ou obrigações para o investidor.  

 Na nossa plataforma, é possível escolher projetos e apostar naqueles que estão em segmentos consolidados do mercado, como o de Tecnologia da Informação (TI), que por apresentar constante crescimento pode possibilitar um ótimo retorno para o investidor, especialmente para aquele que escolher o P2P.

A principal diferença entre o P2P e o investimento anjo é a forma como o rendimento acontece. No Peer-to-Peer da Nexoos, conforme o empreendedor que recebeu o aporte paga o empréstimo, a quantia é depositada mensalmente na conta do investidor, que pode sacar ou reinvestir o dinheiro, tendo maior liquidez. 

Investimento é na Nexoos

Se interessou por esse tipo de investimento e gostaria de aportar quantias nas empresas locais com um ótimo retorno? É empreendedor e procura investidores para sua microempresa ou negócio de médio porte? Conheça as soluções simples e rápidas da plataforma Nexoos! 

Converse com a nossa equipe especializada e saiba qual é a melhor forma de você atender às suas necessidades de uma forma justa e positiva para os dois lados envolvidos na negociação. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima