boleto bancário

Veja como funciona a emissão de boleto bancário

A emissão de boleto bancário é uma forma simples de fornecer aos clientes a possibilidade de um pagamento facilitado — uma ótima maneira de fidelizar seu público. Por isso, esse documento é responsável por boa parte das transações online no Brasil, ficando atrás apenas do cartão de crédito.

Para sua empresa oferecer essa alternativa de pagamento, é preciso vincular-se a uma instituição financeira. E existem diversos serviços disponíveis no mercado.

Então, preparamos este post para ajudá-lo a entender melhor sobre como funciona a emissão de boleto bancário e como você pode implementar essa modalidade no seu negócio por meio de um passo a passo bem simples!

O que é um boleto bancário?

Antes de tudo, é importante você entender o conceito. Boleto bancário é um meio de pagamento que permite ao seu negócio realizar cobrança de valores específicos. Esse título pode ser emitido tanto por pessoas físicas quanto por uma empresa.

Como você já deve ter observado, o boleto pode ser emitido em uma via avulsa, ou seja, com apenas um pagamento, ou então vir em forma de carnê — ideal para vendas parceladas ou serviços de cobrança recorrente.

Ele sempre apresenta campos específicos para garantir que o valor pago chegará ao seu destinatário. É aí que surgem muitas dúvidas. Mas vamos esclarecer melhor sobre essas informações mais detalhadamente.

Que informações compõem o documento?

O registro do boleto bancário deve seguir as regras da Febraban (Federação Brasileira dos Bancos). Segundo a instituição, o documento é divido em duas seções: recibo do sacado e ficha de compensação.

Recibo do sacado

Esta parte fica com o cliente após o pagamento. Serve como uma comprovação da quitação de débito. O layout pode variar, mas as seguintes informações são obrigatórias:

  • nome do cedente com CPF ou CNPJ;
  • código da agência e do cedente;
  • valor do título;
  • data de vencimento;
  • nome do sacado com CPF e CNPJ;
  • nosso número.

Ficha de compensação

Esta ficará na posse do banco onde o boleto for pago. Aqui o layout segue as seguintes recomendações:

  • altura entre 95 mm e 108 mm;
  • largura sugerida fica entre 210 mm, que é do papel A4, e 216mm (papel carta).

Como funciona a emissão de boleto bancário?

Para sua empresa trabalhar com boleto bancário, é necessário abrir uma conta em uma instituição financeira de sua preferência, caso você ainda não tenha. Daí, basta procurar o gerente do banco para analisar as carteiras de cobrança disponíveis.

A emissão de boleto bancário poderá então ser feita por ferramentas desenvolvidas pela própria instituição financeira, ou por softwares (ou sistemas externos) que registram as informações no documento.

As informações básicas incluirão a empresa ou pessoa física que faz a cobrança (cedente) e o cliente que faz o pagamento (sacado). Além disso, define-se um prazo para a operação (data de vencimento).

A partir daí o cliente poderá fazer o pagamento em diversos canais: bancos, lotéricas e outros pontos de venda que aceitem pagamentos. Se ele tiver uma conta bancária, as alternativas são ainda mais amplas:

  • terminais de autoatendimento do banco;
  • internet banking;
  • atendimento telefônico;
  • aplicativo do banco no smartphone;
  • agencias dos Correios com Banco Postal;
  • atendimento telefônico.

Após o pagamento, o valor é transferido para o cedente em um prazo estabelecido pelo banco (podendo ocorrer em até 72 horas úteis).

O que são boletos simples ou sem registro?

Nesse tipo de boleto, o banco não é informado sobre a identidade do sacado, isto é, quem fará o pagamento. Além disso, dados sobre o valor e data de vencimento também não são registrados. Em razão disso, as tarifas referentes à emissão de boleto bancário só são cobradas em cima dos títulos pagos na rede bancária.

Muitos empreendedores viam esse modelo como uma vantagem uma vez que não se cobravam taxas referente à emissão, ao cancelamento e à alteração de boletos.

No entanto, a Febraban, por meio do Projeto Nova Plataforma de Cobrança, definiu desde o final de 2018 a obrigatoriedade do registro na emissão de boleto bancário, incluindo informações do CPF ou CNPJ do sacado (pagador). O objetivo foi reduzir o número de fraude e garantir à pessoa cedente um maior controle dos pagamentos, além da possibilidade de iniciar protestos em casos de inadimplência, uma vez que haveria uma prova da inadimplência.

Quais as vantagens de emitir boletos?

A emissão de boleto bancário traz muitas vantagens para você e para seu cliente. Isso se dá tanto por sua natureza física quanto pela facilidade que proporciona. Veja só!

Maior segurança

O documento impresso ainda dá uma sensação maior de “conta paga” para a maioria dos consumidores brasileiros. Por esse motivo, o empreendedor não pode deixar faltar essa modalidade no seu negócio.

Após o pagamento, o cliente guarda o boleto com a autenticação impressa. Isso transmite maior segurança e autenticidade à transação.

Possibilidade de descontos

Muitas lojas, especialmente no e-commerce, oferecem descontos para pagamentos feitos pelo boleto bancário, já que é um pagamento à vista. Afinal, as operadoras de cartão de crédito cobram taxas de até 6% do valor, o que reduz consideravelmente a margem de lucro da empresa.

Além disso, o pagamento no crédito pode demorar de 20 a 30 dias para caírem na sua conta bancária. Já no boleto bancário, se o pagamento for feito dentro do prazo, você recebe em poucos dias, facilitando o seu fluxo de caixa.

Praticidade operacional para você e facilidade para o cliente

O pagamento via boleto é muito prático. O cliente pode até pagar em seu internet banking ou pelo celular, sem sair de casa. Além disso, é possível agendar pagamentos ou mesmo cadastrar no débito automático. Essa é uma estratégia fundamental para evitar a inadimplência.

Por outro lado, sua empresa ganha com praticidade operacional, uma vez que os pagamentos podem ser controlados por plataformas de gerenciamento muito práticas e simples.

A emissão de boleto bancário é uma alternativa de pagamento que definitivamente não pode faltar no seu negócio. Assim, não se trata de substituir outras modalidades de cobrança por esta, mas sim de adicionar mais essa opção ao seu público. Dessa forma, você consegue garantir maior controle sobre os pagamentos e reduzir substancialmente suas taxas de inadimplência.

Por falar em inadimplência, não deixe de ler nosso post sobre 4 dicas par lidar com clientes inadimplentes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima