crowdfunding

Crowdfunding: financiamento coletivo também é forma de investimento

Crowdfunding é o termo utilizado para financiamento coletivo. A princípio, a prática era muito comum do meio artístico, ajudando profissionais a atingirem objetivos como gravar um CD. No entanto, ela se difundiu e também pode ser um recurso para empreendedores conseguirem o aporte inicial de uma startup, por exemplo.

Além disso, ela é efetiva no financiamento de projetos específicos, como o desenvolvimento de um novo produto, e é uma forma de empréstimo para empresas. Para alcançar o sucesso nessa modalidade, é preciso conseguir um bom alcance na internet, o que contribui para um maior número de investidores no projeto.

O que é crowdfunding?

O crowdfunding é uma maneira organizada de conseguir angariar fundos para um meta, prática popularmente conhecida como “vaquinha”. Dessa forma, é possível financiar projetos por meio da soma de investimentos.

Para fazer um financiamento coletivo dessa modalidade, é necessário se inscrever em uma plataforma na internet. Assim, a empresa cadastra o projeto e explica os seus objetivos, colocando uma meta financeira a ser alcançada. 

Para o financiamento dar certo, é preciso alcançar essa meta. Caso isso não aconteça, o dinheiro retorna para aqueles que se dispuseram a ajudar. Uma das vantagens do modelo é a possibilidade de arrecadar mais verba do que o inicialmente solicitado. Isso mostra a boa aceitação do produto ou serviço ofertado.

A diferença principal é que o empreendedor não precisa recorrer aos meios tradicionais para conseguir o crédito, como um banco ou um investidor anjo. No crowdfunding empresarial, tem-se uma ampla rede de investidores em que cada um colabora de uma forma e com uma quantia.

Como fazer o financiamento coletivo

A ideia do financiamento colaborativo não é manter as operações diárias de uma empresa, como o capital de giro, por exemplo. A verba arrecada costuma ter um objetivo específico, além de testar a aceitação do produto ou serviço que está sendo proposto.

Existem diferentes maneiras de fazer o crowdfunding empresarial. A decisão de qual delas será utilizada, ou a mistura de mais de um modelo, é fundamental para o seu negócio:

  • Doação: é a modalidade mais comum, onde não há nenhuma contrapartida dos investidores. Costumam ser funcionais para projetos de filantropia ou com apelo social.
  • Recompensa: nesse caso, o investidor não recebe o dinheiro de volta, no entanto tem uma contrapartida. Em geral, as empresas oferecem o produto final antes de ser lançado, por exemplo.
  • Empréstimo: este já é um modelo mais interessante para os investidores. Nesses casos, o empreendedor devolve o dinheiro investido depois de um período determinado, mas não há participação no negócio.
  • Participação ou equity crowdfunding: nesse caso, o investidor tem participação nos negócios, tornando-se sócio. Dessa forma, apesar de não ter um retorno imediato, ele consegue resultados depois de um período. 

Equity crowdfunding é uma forma de investir

Entre as modalidades, a equity crowdfunding tem feito sucesso entre os investidores. Isso, porque ela é mais uma maneira de investir a variar a carteira de aplicação. 

Além disso, é importante ressaltar que ambas as modalidades, tanto o crowdfunding tradicional quanto o equity são regulamentados pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

A primeira plataforma dessa modalidade no Brasil foi criada em 2017, mas começou a ter forças três anos depois. O propósito era oferecer mais uma possibilidade para os empresários, além dos fundos de investimentos, investidores anjos e dos tradicionais bancos.

Dessa forma, o crowdfunding para empresas possibilita a criação de um negócio que agrega pessoas. Em muitos casos, o investidor que opta por uma startup e o modelo de equity crowdfunding quer estar mais próximo do negócio, ao contrário de um investidor da bolsa, por exemplo. 

Marketplace lending é opção estratégica

Além do financiamento coletivo para empresas no modelo de crowdfunding, é possível conseguir investimento de outras maneiras para o seu negócio. Assim, você não fica dependente da antecipação de recebíveis ou linhas de crédito.

As plataformas de marketplace lending, como a Nexoos, reúnem investidores e empreendedores. Dessa forma, o negócio entre ambas as partes é facilitado, sem a necessidade de instituições financeiras.

Para o investidor, é uma boa forma de variar a carteira de investimentos, além de garantir altas opções de retorno, que variam de 14 a 63% ao ano. Para o empreendedor, a vantagem é um processo totalmente transparente, com rápida análise e taxas de juros competitivas em relação ao mercado.

Além disso, a plataforma da Nexoos também conta com a opção de fundos de investimentos. Ou seja, o investidor consegue aplicar sua renda em um fundo com uma variedade de empreendimentos, sem necessariamente escolher uma empresa específica. 

Invista e cresça com a Nexoos

Para a Nexoos, um negócio só é bom quando o acordo é eficiente para os dois lados. Por isso, a plataforma conecta empreendedores e investidores de uma maneira que ambos possam desfrutar da melhor experiência e resultados.

O investidor tem a liberdade de escolher em quais empresas investir ou optar pelo fundo de investimento que mais combina com o seu perfil. Também consegue diversificar as suas escolhas em um processo totalmente online e com segurança.

Enquanto isso, o empreendedor consegue o aporte necessário para fazer a sua empresa crescer e tirar as ideias do papel. Confira as nossas condições e se cadastre na plataforma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima