Empreendedorismo28 de fevereiro de 2020 Tempo de Leitura: 3 minutos

Veja como a TFE afeta o seu negócio

Por Redação Nexoos

TFE

O gerenciamento de uma empresa envolve várias responsabilidades, como o enquadramento de um regime tributário, a elaboração do contrato social e o pagamento de diversos impostos. Entre eles está a TFE, uma taxa cobrada pela prefeitura de cada município.

Em meio a tantas responsabilidades, não é de se estranhar que o pagamento e a existência dessa tributação sejam esquecidos. Para que você não fique perdido nem surpreso como emitir TFE, nós iremos explicar como ela influencia na “saúde” da sua empresa. Acompanhe.

Entenda a TFE

Também conhecida como Taxa de Fiscalização de Estabelecimento, a TFE é utilizada pelas prefeituras para financiar serviços públicos — as ações de controle e vigilância, de modo geral.

A cobrança da taxa é realizada de acordo com a data estabelecida pela cidade em que a empresa está sediando e pagando os valores determinados na tabela TFE. Em São Paulo, por exemplo, o recolhimento da parcela integral é feito anualmente todo dia 10 de julho. Quando parcelado, elas vencem no dia 10 dos próximos meses.

Como funciona

A taxa de fiscalização é uma tributação que não possui um valor fixo. Além do seu valor sofrer alterações com a legislação de cada município, a TFE também varia com a atividade econômica e o número de funcionários registrados.

Antes de 2007, a cobrança da taxa era enviada diretamente aos endereços aos quais as empresas estavam registradas. Hoje, porém, para facilitar o pagamento e emissão da TFE, a guia é gerada pelo DUC (Demonstrativo Unificado do Contribuinte), um processo totalmente on-line.

Valor da TFE

Em geral, o valor dessa tributação é definido pelo Código de Estabelecimento, seguindo a divisão do mercado ao qual a empresa presta serviço e o número de funcionários. 

Para descobrir o código, você deve entrar