custo efetivo total

Saiba o que é o Custo Efetivo Total e seu impacto na hora de pedir um empréstimo

Existem diversos processos quando alguém pretende solicitar um empréstimo para uma instituição financeira ou empresa de cessão de crédito. Esses processos envolvem análises, documentações, encargos e taxas. 

A soma de todos os custos que ocorrem em um empréstimo é chamado de Custo Efetivo Total. Também chamado pela sigla CET, ele reúne encargos com seguros, taxas, impostos, serviços terceirizados e outras despesas, como custos com cartório, por exemplo.

Para ajudar você, que está pensando em tomar empréstimo para si mesmo ou sua empresa, a Nexoos preparou este conteúdo com informações sobre como funciona o Custo Efetivo Total e como ele impacta nos valores finais de um empréstimo. Confira!

O que é Custo Efetivo Total?

O CET é o valor total pago pelo dinheiro que uma pessoa ou empresa toma emprestado. Como muitas taxas e encargos não são descritos na negociação, o valor final pode acabar saindo mais caro do que o imaginado.

Por isso, é necessário calcular o Custo Efetivo Total quando se vai tomar um empréstimo em qualquer instituição, já que ele pode variar muito de acordo com a empresa e as taxas e condições colocadas na negociação da cessão de valores.

Isso significa que mesmo dois empréstimos que tenham as mesmas condições de tempo e taxa de juros básica podem apresentar um custo final bem divergente um do outro, o que faz a diferença nos seus rendimentos. Lembrando que o CET de financiamento funciona da mesma maneira.

Ou seja, o CET serve para trazer transparência ao processo, deixando especificado o real custo do empréstimo que será tomado. Dessa forma, o tomador tem a capacidade de comparar qual instituição oferece realmente o capital mais rentável de acordo com cada necessidade e condições.

Quais custos estão envolvidos no CET?

São vários os custos que estão envolvidos no cálculo do CET. Muitos são custos adicionais, que não são notados na assinatura de um contrato ou na sua negociação, mas aumentam consideravelmente os valores finais.

Confira os custos que podem constar no cálculo do Custo Efetivo Total:

  • Taxa de juros efetiva: a incorporação e a formação dos juros coincidem com a taxa. Exemplo: taxa de 5% ao mês com capitalização mensal;
  • Taxa de juros nominal: a incorporação e a formação dos juros não coincidem com a taxa. Exemplo: taxa de 5% ao mês com capitalização semestral;
  • taxa de análise de crédito: custo gerado pelo processo de análise de crédito que a instituição realiza para ceder a quantia que será emprestada;
  • Taxa de abertura de crédito (TAC): a taxa pode ser vista com outros nomes no mercado, mas tem a mesma função;
  • Taxas administrativas: são cobradas pela instituição que cede o capital para administrar o valor investido e mantido sob sua custódia;
  • IOF (Imposto sobre Operações Financeiras): valor cobrado para realizar cada operação feita. Seu recolhimento é proporcional ao valor operado;
  • Seguros: proteção financeira para casos como invalidez, morte, desemprego involuntário e outros;
  • Serviços de terceiros: valor cobrado sobre serviços realizados por outras empresas que não as da instituição que cede o capital;
  • Taxas de manutenção do cadastro: cobra custos de manutenção do cadastro do cliente, mantendo dados atualizados sobre cada um,
  • Custos com cartório: os custos para autenticar e organizar toda a papelada em um cartório também entram na taxa da CET.

Como ver o Custo Efetivo Total de cada operação?

Não sabe onde encontrar o Custo Efetivo Total e como calcular? Calma! Segundo resolução 3.517 do Banco Central, todas as instituições financeiras devem informar o CET em alguns materiais. Confira:

  • Materiais de ponto-de-venda em que apareçam valores de parcelas ou taxas de juros;
  • Pré-contratos;
  • Fichas de cadastro;
  • Cédulas de crédito bancário,
  • Materiais de comunicação em qualquer mídia em que apareçam valores de parcelas ou taxas de juros.

Como analisar o CET na hora de fechar um empréstimo?

Como cada instituição e tipo de empréstimo apresenta um Custo Efetivo Total diferente, o ideal é você comparar sempre com base nos mesmos parâmetros, ou seja, usando o mesmo prazo de pagamento e valor tomado.

Assim, é possível ter precisão sobre a diferença entre um CET e outro, já que as condições iniciais serão as mesmas. Nesse processo, existem operações que cobram taxas distintas, o que torna praticamente impossível saber qual instituição tem juros maior sem saber exatamente quais os custos totais.

Transparência é com a Nexoos!

A Nexoos tem como princípio oferecer um processo rápido, eficiente e transparente para quem deseja investir ou tomar empréstimo. Assim, você fica sabendo de todas as taxas e encargos existentes em cada operação que é feita de maneira prática e objetiva.

Com a Nexoos você tem taxas justas e condições atrativas em comparação a outras instituições financeiras. Sua empresa também passa por um processo criterioso de análise de crédito, que garante a segurança em cada etapa do empréstimo. Confira!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima