gerenciamento do capital de giro

Como fazer o gerenciamento do capital de giro da sua empresa

Você sabe como fazer o gerenciamento do capital de giro da sua empresa? Essa pergunta é muito importante para que seu negócio dê certo e cresça de maneira saudável. Afinal, o planejamento financeiro faz diferença na expansão de empresas.

Como o capital de giro é o que movimenta a sua empresa, ter esse número em mente facilita também a criação de metas, a organização de estoque e o controle de gastos em itens que realmente são necessários para que sua operação se mantenha sustentável.

Se você quer saber mais sobre a importância do capital de giro, acompanhe esse post e anote nossas dicas! 

Como funciona o capital de giro?

O capital de giro é a quantia que uma empresa dispõe para a manutenção da empresa. Nessa conta, são incluídos valores no banco, no caixa, na compra de estoque e nos recebíveis dos clientes.

Essa mesma quantia é usada para pagamentos como salários, encargos, reformas e tributos. Em resumo, o capital de giro é toda movimentação que apresenta alta liquidez, podendo ser resgatado a qualquer momento. 

Diferença entre fluxo de caixa e capital de giro

Apesar de serem conceitos próximos, usados até como sinônimos por muitos, o capital de giro não significa a mesma coisa que fluxo de caixa. E saber suas diferenças aumenta a organização que você tem dentro da sua empresa, evitando confusões.

O capital de giro é o valor que a empresa tem em caixa para pagar suas contas durante um determinado período de tempo. Esse valor deve ser suficiente para que a operação toda não entre no vermelho, cobrindo o giro de capital do negócio.

Em comparação, o fluxo de caixa é o volume de despesas e receitas realizadas, configurando toda a movimentação que ocorreu nesse período de tempo. Ao fazer o cálculo, é possível determinar se o fluxo de caixa no período foi positivo ou negativo.

Como calcular o capital de giro?

Como calcular o capital de giro é uma pergunta comum entre os empreendedores que buscam deixar as contas organizadas. Para calcular, basta somar o valor de todas as contas com o valor que você possui em estoque.

Com esse valor, subtraia as contas a pagar e os impostos e despesas que serão pagas no período estimado. Assim, você terá o valor necessário para manter seu negócio funcionando nesse período, produzindo, portanto, seu capital de giro.

Tipos de capital de giro

Para fazer a gerência do capital de giro na sua empresa de maneira mais natural, é importante conhecer seus tipos e conceitos. Acompanhe:

  • Capital de giro negativo: a empresa gasta mais do que recebe. Apesar de parecer um cenário ruim, uma empresa em crescimento pode ter esse diagnóstico, já que é normal haver mais investimentos e custos em expansões;
  • Capital de giro positivo: a empresa gasta menos do que recebe. É um sinal de que ela está pagando sua operação naturalmente, o que pode significar uma constante de alta ou estagnação de resultados;
  • Capital de giro líquido: nesse caso, é o montante de recursos exceto os ativos não circulantes. Ou seja, seus imóveis e bens não entram na conta, já que não são conversíveis em dinheiro a curto prazo,
  • Capital de giro a investimentos: é destinado a cobrir encargos que o negócio terá após realizar um investimento, como quando há troca ou melhoria de maquinário, por exemplo. É necessário equilibrar esse tipo de capital para que haja recursos em caixa para outras despesas.

Como gerenciar o capital de giro?

A gestão de capital de giro tem como conceito o planejamento financeiro de qualquer empresa em dia, o que resulta em um crescimento saudável das contas e também do próprio negócio em si.

Com essa gestão em dia, é possível identificar falhas e melhorias em pontos específicos, criando gráficos de rendimento de cada setor ou produto de uma empresa. Confira algumas dicas:

  • Tenha disciplina financeira: o controle do capital de giro faz toda a diferença em uma operação saudável dentro da sua empresa. Não o use para cobrir outras despesas sem reposição rápida dos valores;
  • Lembre-se do cálculo: notas fiscais não emitidas e valores futuros não podem entrar no gerenciamento do capital de giro. Esses valores entram no fluxo de caixa, apenas;
  • Produza mais com menos: produzir mais com menos custos é a meta buscada pelas empresas. Assim, o lucro e a produtividade são maiores. Mas cuidado! Não se deve sair cortando todos os gastos sem estudos sobre cada cenário;
  • Atenção com prazos de pagamento: aumentar os prazos e controlar a inadimplência são desafios que seu capital de giro deve antecipar. Por isso, estude seus clientes e fornecedores antes de consolidar sua política de pagamentos;
  • Elimine hábitos nocivos: existem alguns costumes que podem ser excluídos do cotidiano e, com o passar do tempo, podem fazer a diferença. Analise cada aspecto da sua operação diária e elimine o que não for necessário;
  • Seja um bom negociador: sua relação com clientes e fornecedores deve ser a melhor possível. Pensando nisso, você pode negociar melhores condições para sua empresa e seu crescimento;
  • Antecipe seus recebíveis: existem instituições financeiras que realizam esse serviço cobrando taxas e antecipando valores que sua empresa tem em crédito. Pode ser uma boa solução para refrescar o seu gerenciamento do capital de giro,
  • Faça um empréstimo: outra solução é tomar um empréstimo com taxas justas e condições que ajudem sua empresa a crescer. Assim, seu capital de giro é usado para ampliar seus negócios.

Capital de giro é com a Nexoos!

Aqui na Nexoos, você encontra condições que ajudam o seu negócio a crescer! Conheça empresas que tomaram empréstimo com a gente e solicite um para ter um capital sustentável para a sua empresa hoje mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima