As 4 principais métricas de um negócio SaaS

O mercado SaaS — Software como Serviço, em português — no Brasil vem se consolidando ano após ano.

Afinal, ele demonstrou ser uma ótima maneira de fazer negócio, tanto para quem é cliente, pois oferece um serviço de qualidade e que é muito mais acessível, quanto para as empresas que operam nesse modelo, que descobriram uma maneira ótima de entrar em um mercado com alto potencial de escala.

Porém, para conseguir tirar o máximo proveito desse sistema é preciso entender como funcionam as métricas de um negócio SaaS. Sendo assim, será possível obter um maior rendimento do seu funcionamento e fazer melhorias contínuas na empresa. 

Preparamos uma lista com 4 dessas principais métricas. Confira!

1. Churn

Uma das principais métricas de um negócio SaaS é o Churn, que representa a taxa de cancelamento, ou seja, ele indica em porcentagem o quanto a empresa perdeu de clientes em um dado mês, que são os que cancelaram o serviço.

Essa métrica é importante, pois há a famosa teoria de que manter um cliente é muito mais barato do que conquistar um novo. Por isso, a empresa tem de ficar atenta em prol da sua sustentabilidade.

O Churn pode ser representado de diversas formas, e a mais comum delas é por meio do Logo Churn, que é baseado no número absoluto de clientes.

Por exemplo, se a empresa tem 10 clientes e perde 2 deles esse mês, o Churn é de 2/10 = 0,02 = 2%.

2. LTV

LTV é a sigla para Lifetime Value, que em português significa “tempo de vida do cliente”.

O LTV indica qual é a previsão de receita que um cliente pode trazer durante o tempo que ele utilizar o serviço contratado.

Por exemplo, se o valor médio da mensalidade do serviço é R$100 e a previsão, baseada nos clientes já existentes, é que ele continue com o serviço por 10 meses, o LTV é de 10 x R$100 = R$1000.

É importante notar que essa métrica pode ser atualizada constantemente, baseada na média de meses que os clientes geralmente assinam o serviço.

3. CAC

O CAC também é uma das principais métricas de um negócio SaaS e indica o Custo de Aquisição de Clientes, ou seja, o quanto a empresa gastou para adquirir os seus clientes em um dado período.

Por exemplo, se nesse mês ela teve um gasto de R$100 com ações de marketing e vendas e adquiriu 5 clientes, o CAC é de R$100/5 = R$20.

Ou seja, cada cliente custou R$20 para ser conquistado. Essa métrica deve ser comparada constantemente com o LTV. Afinal, no mínimo é preciso que o LTV pague o CAC de cada cliente.

4. MRR

Por fim, apresentamos o MRR, que representa a receita recorrente mensal do negócio. Ele nada mais é do que a receita que entra todo mês no caixa da empresa vinda do valor da assinatura mensal dos clientes.

Podemos citar como exemplo a seguinte situação: o negócio possui 10 clientes que pagam R$20 todo mês, o MRR então é de R$200.

Sendo assim, é possível ter certa previsibilidade de receita, levando em consideração a taxa de churn.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima