open banking

Conheça o Open Banking

Além da desbancarização, as empresas do setor financeiro têm sofrido grandes modificações; desde a maneira de lidar com os consumidores, até como tratar e fornecer os dados pessoais de seus clientes.

É nesse contexto que surge o termo Open Banking. Ele é um modelo de negócio que permite a criação de APIs — Application Programming Interface. Ou seja, ele permite que outras organizações elaborem os seus próprios aplicativos, criando um sistema integrado brasileiro de informações.

Ficou interessado no tema? Confira o conteúdo abaixo! Nós vamos explicar  o conceito de Open Banking, além de mostrar 4 formas de implementar esse método no seu empreendimento.

Como funciona o Open Banking?

Imagine uma realidade em que trocar de instituição financeira não envolve escolher novas taxas de anuidade, condições de portabilidade e necessidade de realizar um novo cadastro. Pois então, este é um cenário conhecido pelos países da União Europeia e Estados Unidos que adotaram o Open Banking.

Esse método possui o objetivo de desenvolver sistemas — APIs — em que as informações dos consumidores terão fácil acesso para as instituições financeiras. Esse modelo reforça a Lei Geral de Proteção de Dados, que foi aprovada no Brasil.

Vale ressaltar que os dados dos clientes serão de responsabilidade exclusiva das empresas do setor financeiro e só poderão ser compartilhados com a autorização dos proprietários das contas.

O que são APIs?

As APIs são o foco central para entender o que significa Open Banking e como está sendo desenvolvido esse projeto, que deve ser posto em prática pelo Banco Central no segundo semestre de 2020. 

Traduzido para o português como Interface de Programação de Aplicativos, elas são o conjunto de vários sistemas utilizados por empresas. A modalidade de API aberta, como as redes sociais, possibilita que outros sites ou organizações possam usá-la para criar seus próprios aplicativos. Cabendo às empresas fazer a gestão das informações que o seu cliente permite o livre acesso.

Conheça 4 modos de colocar em prática o Open Banking

De acordo com a publicação no portal de conteúdos B2B on-line, CIO, existem quatro maneiras distintas de implementar o Open Bank no seu empreendimento. Veja abaixo.

  • Exercendo papel de integradora, a empresa fica responsável pela oferta e distribuição dos seus produtos e serviços. Isso acontece quando a instituição financeira utiliza a API internamente, aumentando o ritmo de produção;
  • No status de produtora, a organização abre espaço para um terceiro agente, como uma fintech. Ela ficaria responsável por aumentar o contato com os clientes e elevar o volume de dados no API, enquanto seu empreendimento estaria ofertando os produtos e serviços;
  • Como terceira opção, o empreendimento inverte de posição com a fintech, que citamos anteriormente, assumindo o papel de distribuidor. Divulgando em seus canais informações de outras empresas, valorizando os seus produtos e supervalorizando a concorrência. Um exemplo é a criação de uma lista com os preços dos serviços de várias corretoras,
  • Por último, a quarta estratégia considera a sua companhia como um portal digital, estreitando o relacionamento com os seus clientes ao abrir “novas portas” de negócio.

Quais os benefícios dessa implementação?

Se você ficou se perguntando sobre os benefícios de adotar esse sistema na sua empresa, confira-os abaixo. Nós, da Nexoos, separamos três vantagens do Open Banking, tanto para o seu cliente quanto para você, empreendedor.

Ampliação dos produtos

A ampla implementação desse modelo significa o aprimoramento do sistema e da competitividade, que resultará em um número maior de produtos e serviços a serem ofertados aos consumidores. Além disso, o Open Banking possibilita mais liberdade e autonomia em processos de portabilidade e mudança bancária.

Menos despesas

Outro aspecto interessante é o corte significativo de despesas. Ou seja, com um regime de integração das APIs, as companhias do setor financeiro podem reduzir o número de contratos de intermediários.

Mais eficiência

O objetivo da integração do Open Banking na rotina interna de uma empresa é a concentração dos esforços dos funcionários na agregação de valor aos serviços de atendimento, deixando o desenvolvimento das APIs para terceiros.

Desafios do Open Banking

Adotar uma plataforma de Open Banking em uma empresa oferece vários benefícios, como você viu no tópico acima. Porém, implementá-lo nem sempre é fácil. Confira os desafios desse sistema.

Regulamentação

Por ser um sistema que envolve os dados pessoais dos clientes de uma instituição financeira, o processo de adoção do Open Banking no seu empreendimento deve ser elaborado com excelentes parâmetros de segurança, garantindo a eficiência da LGPD.

Padronização dos APIs

Como o desenvolvimento das APIs permite que cada empresa faça o seu aplicativo personalizado, ainda é muito difícil garantir a padronização desses sistemas. Por isso, para que seja regulamentado o Open Banking no Brasil, as organizações precisam entender a importância da padronização.

Cultura social

Outro desafio para esse tipo de modelo é a cultura social dos consumidores mais velhos. Eles são clientes que não nasceram nesse cenário tecnológico e, por isso, sentem mais dificuldades de se adaptar a essas mudanças.

Reflexo da presença desse tipo de consumidor é o estudo realizado no ano de 2018 pela Confederação Nacional de Dirigentes e Lojistas e pelo Serviço de Proteção ao Crédito, que constatou que 43% dos brasileiros — acima de 60 anos — são ativos financeiramente.

Open Banking na Nexoos

Apesar de o Open Banking ainda não ter sido implementado no Brasil, a Nexoos já está se preparando para esse novo cenário de integração de dados. Se você não quer ficar para trás, fique atento às novidades do mercado financeiro acessando o blog da Nexoos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima