Educação financeira

Educação financeira para pequenas e médias empresas — PMEs

A educação financeira é fundamental para que as finanças sejam bem geridas e tanto a vida profissional quanto a pessoal sejam equilibradas, sem enfrentar percalços ou eventos inesperados. É comum que empreendedores passem por uma aglutinação de tarefas, cuidando do marketing, contabilidade e produção. 

Para falar de educação financeira para PMEs, devemos ter em mente, também, como a educação financeira pessoal impacta diretamente na gestão das finanças do negócio. Confira algumas dicas de educação financeira que a Nexoos preparou para você. 

Educação financeira pessoal e como isso afeta as empresas

A característica multifacetada dos empresários nacionais especialmente dos que estão começando faz com que haja descuidos que podem custar a operação da empresa. De acordo com o DataSebrae, a mortalidade das empresas está atrelada a três fatores básicos: má gestão, falta de capacitação e mal planejamento. 

A educação financeira pessoal perpassa esses tópicos, pois afeta a visão do empreendedor e como ele vai gerir o negócio, assim como suas percepções do que é gasto e o que é investimento — como em capacitação, por exemplo — e, por consequência, afeta sua capacidade de planejamento, que fica comprometida. 

Se o empreendedor tem suas despesas pessoais organizadas, poucas dívidas e segue seu orçamento mensal com tranquilidade sem usar cheque especial e cartão de crédito, pode ser um indício de que ele tem características para administrar uma empresa, precisando apenas de cursos para complementar. 

No entanto, se a pessoa não tiver controle sobre as próprias despesas, sempre estourar o limite do cartão, do cheque especial, e frequentemente estiver com dívidas, é bom verificar se existe uma real capacidade de administração financeira. Isso é válido principalmente no caso de uma empresa, cuja empreitada é bem maior. 

Separação entre as despesas pessoais e as despesas da empresa 

Um ponto que deve ser ressaltado é a separação das contas pessoais das contas empresariais. Com a aglutinação de tarefas, é comum que a reserva pessoal do empreendedor se misture com os rendimentos mensais da companhia em uma única conta. 

Com tantas facilidades digitais, como bancos online e outros serviços, ficou fácil abrir uma conta pessoa jurídica e separar as duas entradas de dinheiro. Apesar de parecer simples, é crucial que a companhia tenha uma conta apenas para si, sendo possível pagar despesas e identificar melhor o fluxo de caixa. 

Com uma pequena medida como essa, é possível visualizar em quais períodos do ano existe maior ou menor rentabilidade, assim como quais atividades são mais custosas e como é o ritmo de entradas e saídas do fluxo de caixa da empresa. Isso oferece um panorama mais amplo das atividades da companhia. 

Também é importante que o empreendedor tenha disciplina e não use o caixa da empresa para cobrir ou quitar suas despesas particulares, descapitalizando a companhia e impactando diretamente sua declaração de Imposto de Renda, assim como as da companhia.  

Cartão corporativo X cartão de crédito

A separação também vale para que a empresa não invada os recursos pessoais. É comum que a compra de uma máquina ou algo mais caro seja pago com o cartão de crédito pessoal, devido ao parcelamento. Nesses casos, não se deve utilizar o cartão pessoal, mas sim um corporativo. 

Pedido apenas para esse fim, o cartão pode ser solicitado na mesma instituição na qual a conta empresarial foi feita, unificando os processos. O cartão corporativo também não deve ser usado para fins pessoais, evitando confusão nas despesas, assim como na declaração de Imposto de Renda. 

Como funciona a educação financeira para PMEs

A educação financeira para PMEs é voltada para resolver, através de cursos, questões que os empreendedores trazem consigo, como a dificuldade em separar as contas, assim como apresenta e desenvolve conceitos mais técnicos de administração empresarial e noções financeiras. 

Esses e outros fatores monetários e comportamentais afetam diretamente no sucesso da companhia, como elencado anteriormente. No entanto, questões técnicas realmente fazem diferença durante o processo educacional de um empresário, especialmente daqueles que estão se ambientando à rotina. 

Importância da educação financeira para PMEs

A importância da educação financeira se dá porque é ela quem determina o sucesso ou fracasso de um empreendimento. Um empreendedor que domina (mesmo que basicamente) conceitos jurídicos e contábeis, detém vantagem quando comparado a outros.

O empresário bem informado consegue balizar sua operação dentro das boas práticas, assim como perceber tendências de mercado que lhe afetam. Ao dominar os princípios básicos da educação financeira, é possível ter tranquilidade tanto na vida pessoal quanto profissional, sem surpresas e percalços no caminho.  

Investimento empresarial é na Nexoos

Equilibrou sua empresa com a educação financeira e viu que este é momento para crescer? Solicite aqui, na Nexoos, um investimento para ampliar suas operações! Possuímos taxas justas para o empresário e bom rendimento para o investidor. Converse com os nossos especialistas e saiba mais sobre as nossas condições!   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Rolar para cima